2020 não está nada fácil para os brasileiros. Antes mesmo de estourar a crise pandêmica por causa do novo coronavírus em território nacional, a crise política já dava as boas-vindas mostrando que as coisas não seriam tão fáceis assim ao longo deste ano. Quatro meses e meio após o início de 2020, o cenário não se encontra nada positivo: as crises na saúde pública e na política nacional não dão esperança alguma de chegar ao fim. E o desdém de Bolsonaro com o coronavírus não tem sido nada animador para ambos os cenários.

Óbvio que isso não iria passar batido perante os olhos da crítica, especialmente a internacional. Por isso, hoje, o mundo inteiro repercute, através de reportagens e charges, o descaso do então Presidente da República em relação à pandemia instalada desde fevereiro deste ano. Vários veículos estrangeiros de grande importância demonstrou preocupação com o Brasil, principalmente depois de Bolsonaro chamar o Covid-19 de “gripezinha”.

Dessa forma, coube à imprensa de vários países denunciar as atitudes do presidente, chamando-o de ” perigo para os brasileiros” (The Guardian) e de “crise ambulante” (Financial Times) e elegendo-o, inclusive, o pior líder durante a pandemia ( Editorial do jornal Washington Post).

Presidente do Brasil em charges: desdém de Bolsonaro com o coronavírus foi registrado por ilustradores em veículos estrangeiros

The Economist, Stuttgarter Zeitung e La Nación contra Bolsonaro

Em 27 de março, o Stuttgarter Zeitung, jornal regional alemão, trouxe como primeira página a charge de Luff. Nela, a morte e o coronavírus aplaudem o discurso de Bolsonaro, que diz “tudo isso é histeria e conspiração”. Ela foi publicada 3 dias após o pronunciamento em cadeia nacional em que o presidente se posiciona contra as medidas de isolamento impostas pelos governadores dos estados brasileiros, chocando a grande maioria da população.

O La Nación, um dos maiores jornais da Argentina, também mostrou sua indignação com a postura do Presidente do Brasil. Na ilustração de Alfredo Sabat, a chanceler alemã Angela Merker aparece devidamente protegida, ao passo que Donald Trump e Bolsonaro são representados por duas partículas do coronavírus, uma clara alusão à falta de responsabilidade de ambos os presidentes diante do problema.

O Presidente do Brasil ainda figurou em charges da The Economist, tradicional revista inglesa, que, em abril, publicou duas ilustrações de Jair Bolsonaro: na primeira, ele aparece com a cabeça afundada na bandeira do Brasil e, na segunda, o retratou caminhando entre os vírus com a seguinte mensagem: “Brasileiros, saiam de casa, uma chuvinha não vai machucar”.

Torcendo fortemente para que Bolsonaro passe a ter a mímina responsabilidade diante de tamanho problema mundial, destacamos abaixo as ilustrações feitas pelo The Economist, o Stuttgarter Zeitung e o La Nación que criticam o desdém de Bolsonaro com o coronavírus. Confira! #FiqueEmCasa 🏘

Ilustração da revista The Economist em 9 de abril – Lo Cole

Presidente do Brasil em charges: desdém de Bolsonaro com o coronavírus foi registrado por ilustradores em veículos estrangeiros

Cartum publicado na revista The Economist – Kevin Kal Kallaugher

Presidente do Brasil em charges: desdém de Bolsonaro com o coronavírus foi registrado por ilustradores em veículos estrangeiros

Charge do jornal alemão Stuttgarter Zeitung, publicada em 27 de março de 2020 – Luff

Presidente do Brasil em charges: desdém de Bolsonaro com o coronavírus foi registrado por ilustradores em veículos estrangeiros

Charge de Alfredo Sabat no La Nación de 29 de abril de 2020 – Alfredo Sabat

Presidente do Brasil em charges: desdém de Bolsonaro com o coronavírus foi registrado por ilustradores em veículos estrangeiros

Veja esses posts também: