Tá, agora que eu já ganhei sua atenção vou precisar mantê-la, ao menos até o meio desse texto. Quer dizer, a ideia pra qualquer coisa que a gente publica é ter audiência. É querer que as pessoas prestem atenção no que temos a dizer, mesmo que a gente nem tenha certeza do que está dizendo. O que claramente parece ser meu caso.

Veja bem, não estou criticando os testes do Buzzfeed. Eles são, ao menos pra mim, aquele suspiro no meio de tanto stalking e trabalho. Isso não quer dizer que eu goste de todos, ou faça todos, mas que se você se atrai por alguma mecânica e ela dá retorno, o site segue fazendo. E o mais legal é que esse tipo de quizz atrai todo tipo de gente. Pode perguntar aí na sua casa, ou no trabalho, até na rua, pra um desconhecido, mas talvez ele te ache maluco. Todo mundo já fez um teste desses ao menos uma vez na vida. Tenho certeza que essa é uma verdade universal.

Mas por que queremos saber quem seríamos se…?

Analisando mais profundamente, ou então completamente fora de contexto – a decisão é sua – quando me pego vendo esses testes e outros que tentam definir quem somos ou nossa personalidade tem muito a ver com a necessidade de ser, se sentir ou pertencer a algo. Como se mesmo sabendo que estamos fadados a morrer sozinhos, ao menos no nosso tempo na terra em algum momento precisamos fazer parte de algo maior, ou mais legal, talvez? E quando a gente acaba não ficando lá muito satisfeito com a resposta de que tipo de milionários seríamos baseado nas escolhas desses 5 fast food?

Acredite, ou não!

É como astrologia. A nova religião moderna. Não que eu acredite, ou não acredite, mas com minha experiência rasa e muita disposição eu já fiz e interpretei meu próprio mapa astral.

Bom, fazer é uma ação forte demais. Na verdade mesmo eu joguei os dados lá no site e ele me deu as posições dos signos e dos planetas na hora do meu nascimento, e olha, qual não foi a minha surpresa em perceber que baseada na interpretação eu era exatamente o que meu mapa astral dizia que eu era?

Estamos falando de interpretações.

Cada planeta rege uma área da sua vida. Cada signo se comporta de uma maneira. Quando você junta essas combinações muita interpretação interessante pode sair daí.

Eu por exemplo tenho sol em sagitário, ascendente em aquário e lua em libra.
O sol é quem você é no contexto geral. O ascendente dizem que é como as pessoas te veem e por último a lua, que é como você se comporta quando está bêbado e sozinho.

A interpretação do meu mapa acaba se dando assim: sou uma pessoa livre, independente, alegre, que gosta de festa (SOL), as pessoas me veem como uma pessoa alegre, otimista, agradável, curiosa e amiga (ASCENDENTE) e quando eu tô bêbada sozinha (porém na presença de outros, risos) eu me porto de maneira alegre, engraçada, simpática e preocupada. Parece estranho, mas os três principais astros que regem meu mapa astral dizem quase a mesma coisa sobre mim. Será que é tão errado assim acreditar nessas interpretações?

No meu antigo celular eu deixava um tarot online aberto em uma aba na navegação. Isso porque toda vez que precisava de uma orientação eu acabava consultando o tarot online. Sério, sem brincadeira.

Eu dava prints das cartas que saíam e depois do acontecido ainda tentava interpretar mais. Por exemplo: se eu fazia alguma pergunta e a carta respondia como algo dando errado, eu entendia errado e agia errado, já baseada na resposta que a carta online me deu. Coisa de louco né… Pra depois ver que se eu tivesse entendido errado e interpretado esse erro, talvez as coisas pudessem ter ido pra um caminho diferente…

Então devo acreditar? E como interpretar?

Como qualquer coisa dita na vida, tudo deve ser analisado e calculado friamente antes de uma tomada de decisão, e apesar do meu mapa astral (e várias comprovações empíricas) dizerem que eu sou naturalmente uma pessoa impulsiva e levemente descontrolada, cabe a mim decidir minhas ações baseadas nessas “verdades”. Pode ser que no final seja tudo baboseira, que nada disso na verdade jamais tenha significado algo, mas por que não posso ter fé, crença em algo que possa me fazer bem?

Claro que não dá pra levar sua vida de acordo com o que a Susan Miller diz. Não dá pra achar que só porque o seu signo e o do @ não combinam que vocês deveriam terminar.

Tem que agir com sabedoria e pedir pras estrelas e pros astros te guiarem nesse caminho, por mais maluco que seja!

Então desculpa se eu te prendi até aqui e não disse que tipo de personagem da Disney você é. A real é que com certeza você já deve ter seu favorito e se caísse outro personagem você nem ia levar meu teste a sério…

Deixe o seu comentário sobre o post: